mastrobuoni1_Beata ZawrzelNurPhoto via Getty Images_milan police software Beata Zawrzel/NurPhoto via Getty Images

Algoritmos ajudam a diminuir a criminalidade?

TURIM - Todos nós temos uma tendência a seguir hábitos no trabalho e em outros aspectos de nossas vidas. Em geral, eu rendo melhor de manhã e odeio trabalhar depois do almoço. Nossos hábitos costumam refletir preferências, aprendizado ou uma combinação dos dois - ou, como observa Charles Duhigg em seu livro O Poder do Hábito, a mera repetição de um ato pode gerar uma rotina.

Minha própria pesquisa recente mostra que o criminoso não é tão diferente do cidadão temente à lei quando se fala em manter uma rotina, possivelmente como resultado de sua experiência, sua tendência a se especializar e sua crença de que bolou uma estratégia ideal. E os departamentos de polícia estão alcançando eles, com a ajuda de uma ferramenta cada vez mais comum: algoritmos.

Como os algoritmos usam padrões em dados para prever comportamentos futuros, eles podem prever os filmes de que alguém pode gostar na Netflix ou os livros que pode comprar na Amazon. Mas eles também podem ajudar os serviços de cumprimento da lei a combater o crime. Alguns algoritmos calculam o recidivismo futuro de detentos. Outros sustentam ferramentas de policiamento preditivo, que geram previsões de crime com o objetivo de otimizar o patrulhamento.

To continue reading, register now.

As a registered user, you can enjoy more PS content every month – for free.

Register

or

Subscribe now for unlimited access to everything PS has to offer.

https://prosyn.org/ZTxNSMopt